BLOG capa2

CULTURA EMPRESARIAL

Outro dia fui até uma loja de bolos em Brasília, @bolosdoflavio, me deparei com a placa abaixo exposta no checkout:

“ XÔ CARA FEIA”

 

Uma mensagem clara de como a equipe de atendimento está orientada a se comportar, e isso vale um texto só para falar sobre formação de time, mas aqui quero reforçar o significado de CULTURA EMPRESARIAL. Trago aqui o texto sobre CULTURA EMPRESARIAL, que escrevi há alguns anos no meu livro, e já deixo a pergunta: Qual a CULTURA da sua empresa?

Até agora tratamos de fundamentos que podem transformar a sua empresa em uma empresa de sucesso. Sucesso baseado em valores que acreditamos e é exatamente a somas desses valores que juntos transformam-se na cultura da empresa.
A cultura é o resultado de tudo que a empresa faz, todas suas ações diante dos clientes internos e externos, todas as mensagens que envia ao mercado, os resultados positivos e negativos que produz.

Quando se constitui uma pequena empresa brasileira, na maior parte das vezes a sociedade é constituída por amigos ou familiares, pessoas que têm o mesmo objetivo em ter o próprio negócio, que se julgam capazes de gerir suas próprias empresas, pela necessidade ou pela falta de oportunidade. O fato é que na grande maioria das vezes nunca é feita a pergunta se os sócios se completam, se as habilidades de um são complementares às habilidades de outro, este deveria ser o princípio básico de uma sociedade. Quando isso não ocorre, e como disse é quase uma regra, é necessário que tragamos para a sociedade profissionais que tenham habilidades que os sócios não tenham, dessa forma a sociedade evolui. Essa também é uma característica do empreendedor brasileiro.

E quanto aos valores? As habilidades profissionais são fundamentais para o sucesso de uma empresa, mas não menos importantes são os valores inseridos nessa empresa. Esses valores inicialmente vêm com os seus primeiros funcionários, os sócios. Esses valores é que se transformarão na cultura da empresa. No mundo corporativo muitas vezes nos deparamos com ações que infringem nossos valores, nesta hora muito cuidado, é importante entender que você não está lidando com seus amigos ou familiares, a relação é entre profissionais e entre empresas, algumas atitudes são aceitas e até esperadas.

Se você estiver vendendo um carro para um familiar é natural que além de deixar claro todas as características ou defeitos do carro, tente facilitar a negociação. Mas se a negociação é feita com um cliente, você não deve deixar de obter o lucro que sua empresa precisa com o negócio, deverá usar de estratégias comerciais, boa argumentação e nem por isso deixará de ser honesto na apresentação do veículo. A cultura da sua empresa inicialmente vai refletir as atitudes que seus gestores tiverem diante das ocorrências do dia a dia, no tratamento com os clientes e fornecedores, no cumprimento dos acordos e combinados, nas exceções que permitirem, na forma de se expor e nas mensagens que enviaram ao mercado.

No primeiro momento, pode ser que o “dono” tenha uma forma de lidar e os funcionários outra, apesar de normal, está errado, a identidade da empresa será dividida, mesmo que os funcionários tentem replicar a forma como o “dono” faz. Esse é o momento para definir quais são os valores da empresa, definir sua missão e suas políticas e então formar a cultura da empresa que será a marca da empresa para o mercado. O pior que pode ocorrer é não ter uma cultura definida, o melhor é ter a cultura definida em valores que sejam muito respeitados na sociedade que a empresa esteja inserida.

Pense nas empresas que você conhece e tem hábito de transacionar, cada uma delas lhe parecerá de uma forma diferente, refletem a cultura inserida em cada uma, ou pior, a total falta de cultura. No primeiro caso você até pode discordar, mas sabe exatamente como a empresa trata seus negócios. No segundo caso vai depender do humor de quem lhe atender. A Toyota é um grande exemplo de cultura empresarial, talvez porque desde o início preservou os valores da cultura japonesa, tornando-a a maior fabricante de veículos no mundo. Um bom exemplo está na sua linha de produção, quando dá a qualquer operário o poder de interromper a linha de produção caso detectem algum problema em peças ou equipamentos, é a cultura da confiança, da parceria e da qualidade. Ao ouvir isso, o cliente interno se convence de que os produtos que produz são de altíssima qualidade e esta mensagem é
transmitida ao cliente externo até que se torne a marca da empresa, sustentada pela cultura da empresa e baseada em valores sólidos.

Nesse momento observe a sua empresa sem deixar se envolver por qualquer emoção, analise criticamente quais são os valores da sua empresa; se não consegue definir, cuidado, certamente está pisando em um campo minado; se definiu e gostou, olhe seus últimos resultados, se são positivos, então basta fortalecer todos os valores com sua equipe, cada vez mais; se definiu e não gostou, comece a mudança, defina junto a sua equipe quais são os valores fundamentais, justifique-os, encontre na equipe aqueles que discordam e convença-os ou exclua-os, agarre-se em exemplos práticos e faça-os valer a qualquer custo.7

Prática: comece relacionando cada funcionário de sua equipe, a cada um distribua um questionário onde um funcionário possa avaliar e descrever as características de outros três funcionários, junto solicite que descreva também as maiores qualidades e maiores defeitos da empresa. A partir daí, terá um panorama de como sua empresa é vista por seus clientes internos e quais as características de cada funcionário. O mesmo pode ser feito também com seus clientes externos. O próximo passo é definir, junto com sua equipe gerencial e direção, quais são os valores fundamentais da empresa, o resultado será o primeiro esboço da missão da empresa e precisa estar vinculado ao objetivo máximo da empresa, em seguida como fazer para alcançar e manter esses valores, que se traduz nas políticas da empresa. Após tudo definido, analise cada produto ou serviço e identifique se contém os valores
elencados. Por último, identifique nos membros da equipe aqueles que não têm a capacidade de manter os valores, demita-os, os demais, trabalhe para que façam valer os valores fundamentais da empresa. O objetivo é fazer com que tudo gire em torno dos valores escolhidos, será necessário levar essa nova informação a toda equipe. Use cartazes, crie slogans, demonstre enfaticamente que a empresa está baseada nos seus valores, acompanhe de perto as equipes que participam dos processos de venda, pós-venda, manutenção ou produção, até que tenha certeza absoluta que qualquer novo membro possa exercer essa máxima automaticamente a partir do primeiro dia de trabalho.

A mudança de cultura de uma empresa não se dá de uma hora para outra, seguirá uma curva de aprendizado que pode levar até cinco anos para se estabelecer. Se quiser um exemplar do meu livro, acesse o link pelo QRCODE abaixo:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marcio Goulart Jr

Como quebrar sua empresa em 10 passos blog capa

COMO QUEBRAR SUA EMPRESA EM 10 PASSOS

EXPLORE ESTRATÉGIAS FUNDAMENTAIS PARA TRANSFORMAR DESAFIOS EM OPORTUNIDADES E FORTALECER A SUA EMPRESA

 

 

Na competitiva arena dos negócios, o sucesso depende da atenção constante aos detalhes e da capacidade de evitar armadilhas que podem levar ao fracasso. Toda vez que cometemos erros, colocamos o nosso negócio em risco. No setor de alimentos, então, cada empresário enfrenta desafios únicos. Se você atua nesse ramo, certamente compreende a complexidade de gerenciar não apenas os pratos, mas também os bastidores que mantêm sua padaria ou cozinha funcionando. Imagine lidar diariamente com despesas, a necessidade de equilibrar estoques, a pressão de manter uma equipe motivada, garantir o cumprimento de tributos sem sobrecarregar as finanças e, claro, proporcionar uma experiência única aos clientes…

No entanto, a Tecnoweb compreende essas dores e está aqui para transformar desafios em oportunidades. Acompanhe-nos nesta jornada para desvendar 10 passos cruciais que podem conduzir uma empresa ao precipício e, mais importante, como evitá-los para aprimorar a gestão do seu negócio. Além disso, revelaremos dois passos surpresa que frequentemente são os vilões por trás de muitas quedas empresariais. Descubra quais são e como manter sua empresa sempre saudável.

 Vamos superar juntos esses desafios e conduzir seu negócio a um novo patamar de sucesso:

 

1 e 2 – Não Acompanhar o Ticket Médio E Clientes/Dia:

Se você não acompanha esses dois indicadores, está perdendo oportunidades de receita, de maximizar as vendas e desconhecimento do desempenho geral, resultando em risco financeiro e eventual falência. Ticket Médio x Clientes dia são KPIs que precisamos acompanhar diariamente. A falta de acompanhamento do ticket médio pode levar a estratégias de precificação ineficientes. E entender quantos clientes visitam sua loja diariamente é crucial para avaliar o desempenho e a eficácia das suas estratégias de marketing e atendimento.

A solução para evitar esse precipício é simples: além de acompanhar de perto, é fundamental criar um plano estratégico para o aumento do Ticket Médio, envolvendo toda a equipe no processo. Analise estrategicamente os dados para ajustes, aprimore o atendimento ao cliente e esteja aberto à adaptação contínua baseada em dados concretos. Com um engajamento sólido, sua empresa estará pronta para elevar o desempenho financeiro e alcançar novos patamares de sucesso.

 

3 – Não Acompanhar o CMV (Custo de Mercadoria Vendida):

A ignorância e falta de conhecimento sobre o CMV pode levar a margens de lucro inadequadas e desequilíbrio financeiro. O CMV é diretamente relacionado aos lucros, representando o custo real de produção ou aquisição das mercadorias vendidas. Se esse custo não for monitorado de perto, os lucros podem ser erodidos gradualmente, comprometendo a saúde financeira do negócio. A falta de acompanhamento do CMV pode resultar em estratégias de precificação inadequadas, sua empresa pode operar no escuro, sem informações essenciais para ajustar estratégias, sem identificar oportunidades de redução de custos ou otimizar processos. Se os preços de venda não cobrirem adequadamente os custos de produção, sua empresa pode enfrentar prejuízos significativos. 

Mantenha um acompanhamento rigoroso do CMV, monitorando regularmente os custos associados à produção ou aquisição de mercadorias. Analise regularmente as margens de lucro e faça ajustes conforme necessário, busque constantemente negociações vantajosas com fornecedores e não se esqueça do treinamento e conscientização da equipe. Quando houver queda no faturamento e rentabilidade, uma solução para esse problema, seria a criação de metas de CMV e criação de novos canais de venda. Com o CMV alto, já é necessário criar estratégias para a redução, como as ações de marketing.

 

4 – Não Acompanhar Venda por Metro Quadrado:

A eficiência no uso do espaço é vital para qualquer negócio físico e a venda por metro quadrado é um ótimo KPI para perseguir e usar como meta para a equipe. Não monitorar o KPI Venda por Metro Quadrado pode resultar na subutilização do espaço comercial. Isso significa que áreas valiosas podem não estar gerando a receita máxima possível, levando a uma distribuição ineficiente dos produtos ou serviços. Além disso, a falta de acompanhamento desse KPI pode levar a estratégias de precificação ineficientes. Se o preço de venda não estiver alinhado com a área de venda, sua empresa pode enfrentar margens de lucro prejudicadas. Não ter informações sobre o desempenho por metro quadrado também pode resultar em decisões operacionais inadequadas, falta de ajustes estratégicos e, eventualmente, em insustentabilidade financeira.

Por isso, a solução para esse problema é mudar o layout da loja e exposição dos produtos, aproveitar melhor o espaço, investir em equipamentos tecnológicos como totens de autoatendimento que ocupam menos espaço, fazer ajustes na precificação e inserir estratégias de marketing e visual merchandising podem ajudar. Além disso, mantenha uma abordagem proativa e treine a equipe para garantir uma distribuição rentável dos produtos.

 

5 – Ignorar o KPI Venda por Colaborador:

Cada membro da equipe é valioso. Não rastrear o desempenho individual pode resultar em lacunas no treinamento, incentivos inadequados e falta de reconhecimento. Ignorar o KPI Venda por Colaborador pode levar a desconhecimento do desempenho individual, falta de incentivo e motivação, e tomada de decisões sem base em dados, colocando a empresa em risco financeiro. A venda por colaborador é um bom KPI para perseguir e usar como provocador da equipe. Então, promover o desempenho individual através do acompanhamento do KPI Venda por Colaborador é essencial para evitar riscos financeiros e manter uma empresa produtiva e sustentável. 

A solução para o problema seria o aumento da produtividade e a capacitação da equipe, acompanhamento regular do KPI para entender o desempenho individual, fornecimento de feedback construtivo, incentivos para manter a motivação, estabelecimento de metas específicas e reconhecimento dos colaboradores que as alcançam e identificação de áreas de melhoria, além de treinamento adicional quando necessário.

 

6- Não gerenciar Despesa Fixa e Variável:

Compreender e gerenciar despesas é fundamental, o gerenciamento da despesa fixa e variável deve ser como um mantra. Ignorar despesas fixas e variáveis pode resultar em orçamentos descontrolados, margens apertadas e descontrole financeiro. A ausência de análise das despesas impede a formulação de um planejamento estratégico eficaz. Isso pode levar a decisões operacionais equivocadas e à incapacidade de se adaptar às mudanças econômicas e de mercado. E além disso, a falta de conhecimento dificulta a identificação de áreas para ajustes. Isso significa que a empresa pode ficar presa a custos desnecessários, levando a uma gestão ineficiente dos recursos.

Mas deve-se tomar cuidado para que não haja cortes exagerados. A solução para isso é identificar o que gera venda e cortar o que apenas gera custo. Faça análises regulares das despesas para entender onde o dinheiro está sendo alocado. Defina metas claras para despesas com base nas análises, estabeleça orçamentos realistas e monitore o cumprimento dessas metas ao longo do tempo. Esteja atento às oportunidades de negociação com fornecedores para reduzir despesas. Mantenha a flexibilidade para ajustes conforme necessário, e isso pode incluir cortes em despesas variáveis ou a realocação de recursos para áreas mais estratégicas. E a última dica é: desenvolva planos de contingência para enfrentar imprevistos financeiros, pois ter reservas para lidar com situações adversas pode evitar impactos severos na saúde financeira da empresa.

 

7- Delegar decisões sobre tributos:

Problemas fiscais podem paralisar um negócio. Impostos sempre serão uma das maiores despesas. Não entender os impostos aplicáveis e não preparar adequadamente a documentação pode resultar em problemas legais e financeiros. Delegar decisões sobre tributos sem compreender as leis fiscais pode resultar em escolhas inadequadas. A falta de conhecimento pode levar a erros na classificação, pagamento incorreto de impostos e, eventualmente, penalidades financeiras. Uma delegação inadequada pode resultar na não identificação e aproveitamento de benefícios fiscais legítimos. A empresa pode perder oportunidades de reduzir a carga tributária, levando a um aumento desnecessário nos custos operacionais. Além disso, a falta de conformidade fiscal pode levar a multas significativas, prejudicando a saúde financeira da empresa.

O segredo é manter-se no jogo reduzindo a carga tributária, e a solução para  isso é o conhecimento. Esteja devidamente capacitado e atualizado quanto às leis fiscais. Isso inclui participar de treinamentos e manter-se informado sobre mudanças na legislação. Priorize o conhecimento interno, escolha parceiros especializados e acompanhe de perto as decisões e orientações fornecidas pelos especialistas. Realize revisões periódicas das estratégias tributárias adotadas. Garanta que a empresa esteja aproveitando todos os benefícios fiscais disponíveis e esteja em conformidade com as regulamentações vigentes. Realize auditorias internas para identificar possíveis áreas de risco fiscal, permitindo correções proativas antes que surjam problemas com as autoridades.

 

8- Errar na Compra e Venda:

Manter um equilíbrio saudável entre compra e venda é crucial. Ignorar essa relação pode levar a excesso de estoque, falta de produtos ou margens prejudicadas. Tomar decisões equivocadas nas operações de compra e venda também pode resultar em prejuízos financeiros significativos. Compras excessivas, vendas inadequadas ou falhas na negociação de preços podem impactar diretamente a rentabilidade do negócio. Isso impacta diretamente no CMV, estoque, capital de giro e fluxo de caixa. Esses erros podem levar a um excesso de estoque, resultando em custos de armazenamento e obsolescência. Por outro lado, compras insuficientes podem resultar em falta de produtos, perdendo oportunidades de venda e a insatisfação dos clientes. Decisões equivocadas nas transações comerciais podem prejudicar as relações com fornecedores e clientes. Atrasos, erros nas entregas ou falhas na qualidade dos produtos podem afetar a reputação da empresa e levar à perda de clientes.

A solução para isso é o pedido de compra automatizado. Além disso, realize análises consistentes da demanda e tendências de mercado para embasar as decisões de compra. Compreenda as preferências dos clientes e ajuste os estoques de acordo. Implemente sistemas eficazes de gestão de estoque para evitar excessos ou falta de produtos. Mantenha um equilíbrio adequado, considerando a sazonalidade e as mudanças nas demandas do mercado. Busque descontos com fornecedores, prazos de pagamento favoráveis e flexibilidade para ajustes de acordo com as necessidades do seu negócio. Estabeleça métricas para monitorar o desempenho das operações, esteja aberto ao feedback dos clientes e capacite a equipe responsável pelas decisões comerciais.

 

9- Curva ABC:

A Curva ABC ajuda a classificar os produtos em categorias com base em sua importância para o negócio. Ignorar essa classificação pode levar a uma má gestão de estoque, onde itens mais importantes não recebem a devida atenção, resultando em escassez ou excesso de produtos. Produtos considerados menos importantes, podem acabar recebendo recursos desproporcionais, como espaço de armazenamento, investimento em marketing ou esforços de venda. Isso leva a um desperdício de esforços que poderiam ser direcionados a produtos mais estratégicos. Ignorar a curva ABC pode resultar em alocação inadequada de recursos e foco em áreas menos lucrativas, falta de foco nas vendas dos produtos mais lucrativos. A empresa pode perder oportunidades de maximizar a receita ao não concentrar esforços nos itens mais estratégicos. 

A curva ABC deve refletir a regra de pareto para dar sustentação ao faturamento da loja e definir mix de produtos. A solução para isso é ter estratégias para redução de mix de produtos e manutenção da regra de pareto 80×20. Realize análises regulares para classificar os produtos com base em sua importância. Concentre recursos, como espaço de armazenamento, marketing e força de vendas, nos produtos das categorias A e B. Isso otimiza o retorno sobre o investimento e evita desperdícios. Utilize a Curva ABC como base para previsão de demanda. Isso facilita o planejamento de estoque, compras e estratégias de marketing, garantindo uma resposta mais eficaz às necessidades do mercado. Esteja preparado para ajustar as classificações conforme o mercado evolui. E uma última dica, utilize sistemas de gestão integrados que facilitem a análise e a tomada de decisões, proporcionando maior eficiência nas operações comerciais.

 

10- Não Ter Interesse Genuíno em Pessoas:

O IGP (Interesse Genuíno em Pessoas) é um termo cunhado pelo expert Edmour Saiani. Os clientes e a equipe são a espinha dorsal de qualquer negócio. Não se preocupar genuinamente com essas partes interessadas pode levar a uma reputação prejudicada e rotatividade de funcionários. Não ter interesse genuíno em pessoas pode levar a falhas no atendimento ao cliente, desmotivação da equipe, uma reputação negativa e falta de adaptação às mudanças do mercado. Ao cultivar uma cultura de empatia, interesse e aprendizado contínuo, a empresa pode evitar esses riscos e promover o sucesso a longo prazo.

Como,então, cultivar um interesse genuíno em pessoas? Proporcione treinamento em atendimento ao cliente e crie uma cultura de engajamento. Valorize o feedback contínuo, mantenha-se atualizado sobre as mudanças no mercado e tendências, incentive relacionamentos duradouros e invista no desenvolvimento pessoal da equipe.

 

O que você achou destes 10 passos? Faz sentido para você?

 

Para melhoria de todos esses passos, mantenha um acompanhamento rigoroso dos KPIs. Evite a falência mantendo uma vigilância constante sobre esses indicadores-chave, ajustando estratégias conforme necessário e promovendo um crescimento sustentável. A ação proativa e tomada de decisão rápida com base em dados é a chave para o sucesso duradouro. Utilize sistemas e ferramentas eficazes para automatizar esse processo e garantir precisão nos dados. 

 

Então vamos para mais dois passos surpresa que preparamos para você: 

 

Falta de Planejamento e Falta de Inovação:

A falta de inovação pode resultar em produtos ou serviços desatualizados, tornando a empresa menos competitiva no mercado. Isso pode levar à perda de clientes para concorrentes. A falta de inovação na automação e otimização de tarefas pode resultar em custos desnecessários, reduzindo a lucratividade. A incapacidade de se adaptar pode levar a sérios desafios financeiros e estagnação do negócio frente a um mercado em constante evolução. Além disso, produtos ou serviços obsoletos podem não atender mais às necessidades dos clientes, levando à perda de mercado e, eventualmente, à falência.

E a ausência de um plano estratégico pode levar a processos internos ineficientes. A falta de planejamento pode resultar em uma empresa despreparada para enfrentar mudanças no ambiente de negócios, como alterações na regulamentação ou flutuações econômicas. A falta de planejamento também pode resultar em decisões impulsivas e falta de direção, afinal, para quem não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve. 

A solução para isso é aprender técnicas de planejamento. Desenvolva um planejamento estratégico flexível e esteja disposto a ajustar estratégias conforme necessário. E quanto a falta de inovação, comece resolvendo um problema do seu cliente de forma simples, realize pesquisas de mercado para entender as necessidades dos clientes. Além disso, incentive uma cultura de inovação dentro da empresa, acompanhe as tendências do mercado e adote tecnologias relevantes.

 

Você sabe o que é BI? 

Business Intelligence (BI) também conhecida como inteligência empresarial diz respeito a coleta, análise, compartilhamento e monitoramento de informações que são gravadas em um banco de dados para que posteriormente sejam utilizadas na otimização de estratégias. É um conjunto de processos sustentados pela tecnologia para analisar dados e apresentar um panorama de informações do negócio. O Business Intelligence (BI) oferece insights valiosos que ajudam as empresas a tomar decisões informadas e estratégicas. Adotar sistemas de BI avançados permite monitorar dados em tempo real, identificar tendências emergentes e otimizar o desempenho operacional.

 

E você? Já utiliza essa ferramenta?

O Ommini BI é a resposta para esses desafios. Oferecendo insights em tempo real sobre vendas, despesas, desempenho individual e muito mais, o Ommini permite uma gestão eficiente. Com ele você tem o poder de tomar decisões informadas, evitando os passos que levam ao fracasso. O Ommini BI, é um sistema desenvolvido pela Tecnoweb que oferece dados e informações mais completas sobre o seu negócio. Dessa forma, permite que você, gestor, possa tomar decisões mais assertivas. Cada detalhe foi pensado para otimizar ainda mais a sua análise diária, potencializando o seu rendimento como empresário, proporcionando benefícios reais à saúde empresarial.

 

Sabemos que gerenciar um negócio na indústria alimentícia é um verdadeiro banquete de desafios, mas a Tecnoweb mostra como transformar esses desafios em oportunidades. A coleta, análise e monitoramento de informações capacitam você a tomar decisões informadas, mantendo sua empresa na trilha do sucesso. Em resumo, otimizar a gestão empresarial requer um compromisso contínuo com a excelência, a adoção de práticas recomendadas e a utilização de ferramentas tecnológicas avançadas. Ao seguir estes passos, as empresas podem melhorar sua eficiência operacional, maximizar sua rentabilidade e garantir um futuro próspero e sustentável.

Não deixe que os desafios afetem o sabor do seu negócio. Com a Tecnoweb, você não apenas supera obstáculos, mas também cria um futuro mais próspero. Estamos aqui para apoiar sua jornada, proporcionando uma gestão eficiente e estratégica. 

 

Junte-se a nós e transforme cada desafio em uma vitória! Fale agora com o nosso setor comercial para mais informações.

 

Ana Luíza

Marketing

gestao-estoque

ESSE É O SEGREDO PARA TER UM CONTROLE EFICIENTE DO SEU ESTOQUE

Descubra como simplificar o processo de inventário e ter um controle eficiente na sua loja de varejo

 

Você sabe exatamente quais são as falhas que atrapalham a gestão do seu estoque?

 

Para manter uma loja de varejo funcionando de maneira eficiente, é fundamental fazer um balanço periódico. Os lojistas devem fazê-lo para garantir a eficiência e a rentabilidade do negócio. O inventário permite que o gestor tenha uma visão clara da quantidade e da condição dos produtos em estoque, evitando perdas por vencimento, rupturas ou extravios e ajudando a identificar as necessidades de compra ou de reposição. A administração correta do seu estoque fará você perceber o que precisa e o que não precisa. Além disso, o controle eficiente possibilita um melhor atendimento aos clientes, com a disponibilidade de produtos, melhor negociação com fornecedores e a otimização dos processos internos da loja, aumentando a produtividade e reduzindo custos. 

 

Mas para muitos gestores, essa tarefa pode se tornar um verdadeiro pesadelo. Esse é o seu caso? Fazer o inventário de estoque exige tempo, dedicação e um bom planejamento, o que pode ser uma grande dificuldade, principalmente em empresas que possuem grande quantidade de produtos. Por outro lado, não fazer o inventário é uma escolha ainda pior. Sem essa prática, é fácil perder o controle dos produtos, enfrentar prejuízos e até mesmo perder vendas importantes. Sem o balanço de estoque, a gestão do negócio pode ser comprometida, levando a perdas financeiras, prejuízos na imagem da empresa e perda de vendas importantes.

 

A dificuldade em fazer o inventário do lojista pode estar relacionada a diversos fatores, como a falta de tempo, a complexidade do processo, o volume de produtos e a falta de recursos tecnológicos adequados. Muitos gestores ainda fazem o inventário manualmente, o que torna o processo ainda mais demorado e suscetível a erros. Além disso, a falta de um controle eficiente do estoque pode resultar em problemas financeiros, como perda de produtos por vencimento, extravios ou furtos. E, em muitos casos, os gestores só percebem que estão com problemas quando as vendas começam a cair.

 

Para combater esses problemas, além de uma boa organização, um ERP é a ferramenta mais precisa e eficaz para realizar a gestão! Planilhas não são precisas para registrar o que entrou e o que saiu, só um ERP (Sistema de Gestão Empresarial) pode proporcionar uma gestão de estoque assertiva e evitar problemas como a falta de logística. O sistema busca a qualidade e a velocidade das informações geradas, a fim de otimizar os processos. Ter um ERP  é essencial para integrar os setores e prover todo suporte necessário. E vale ressaltar que ferramentas de suporte de contagem também são muito válidas para ter segurança e agilidade, como um coletor de dados.

 

Para ajudar os gestores a terem um controle eficiente do estoque, a Tecnoweb oferece o sistema Lince e o app Colét. Com o Lince é possível integrar todas as informações estratégicas do seu negócio em uma só ferramenta, facilitando o acesso dos gestores aos dados e permitindo que eles tomem decisões mais assertivas em menos tempo. Com ele é possível fazer o cadastro de produtos, a entrada de mercadorias, o inventário, o controle de vencimento dos produtos, a devolução de mercadorias, gestão de múltiplos estoques e muito mais. Já o Colét é um aplicativo de automação que possibilita à empresas um rápido e fácil controle do mix de produtos e é integrado ao sistema Lince. Através de um dispositivo próprio com leitor (QR Code ou Código de Barras) com  sistema android ou um smartphone é possível coletar os dados para uma melhor gestão do inventário, conferência de produtos, a posição e transferência do estoque, o lançamento de perdas e trocas internas e consulta de produtos. Com essas soluções, os gestores podem ter acesso a informações precisas e atualizadas sobre o estoque de sua empresa, além de realizar o inventário de forma simples e confiável.

 

Com a Tecnoweb, você terá um controle eficiente do estoque da sua loja, garantindo o sucesso do seu negócio. Não perca mais tempo e dinheiro com erros, planilhas complexas e inventários manuais, experimente agora mesmo as nossas soluções  e simplifique a gestão do seu estoque!

 

Clique aqui e fale com a nossa equipe.

 

E você? Já enfrentou dificuldades para realizar o inventário de estoque da sua loja de varejo? Deixe nos comentários abaixo, nós queremos te ouvir!

 

Um abraço e até a próxima!

 

 

Ana Luiza

Marketing

 

tendencia-pascoa-2023

TENDÊNCIAS DO VAREJO DE ALIMENTOS PARA A PÁSCOA 2023

Conheça as novidades que vão fazer sua loja se destacar nessa data especial

 

A Páscoa está chegando e, como sempre, é hora de se preparar para as tendências do varejo de alimentos nesta época. A Páscoa é uma das datas mais importantes do calendário de vendas. É o momento em que as pessoas se reúnem em família e celebram a data com muita comida e chocolate. Para o setor, essa é uma grande oportunidade para oferecer produtos e serviços que atendam às necessidades dos consumidores e gerem resultados positivos para os negócios. 

Com as novidades a todo vapor, nós preparamos uma lista com algumas das tendências para Páscoa 2023. São diversas possibilidades para você analisar o que é melhor para o seu negócio, seja ele confeitaria, padaria, supermercado ou restaurante, e escolher as melhores opções para garantir ainda mais lucros. Neste ano, as tendências apontam para a busca por pequenas porções, opções saudáveis e orgânicas, qualidade gourmet e artesanal e conveniência. Confira, ainda dá tempo de colocar em prática e lucrar muito:

 

Monoporções

 

A primeira tendência são as monoporções ou porções pequenas. Para os negócios, essa tendência reúne alta rotatividade e rentabilidade, pois são produtos fáceis de consumir e transportar e diversificam as vitrines com variedade de sabores. Além disso, é uma opção para o cliente que não quer pagar muito por um presente. Para a Páscoa 2023, esperamos ver um aumento na demanda por ovos de Páscoa e outros doces em porções menores, como cones de cenourinhas, mini ovos, ovo blister, meia banda, kit degustação, bombons, barras de chocolate, etc. São produtos que podem ser facilmente compartilhados com amigos e familiares.

 

Opções saudáveis e veganas

 

As opções saudáveis são outro ponto forte na Páscoa 2023. Cada vez mais consumidores estão preocupados com sua saúde e bem-estar, e isso se reflete em suas escolhas alimentares. Para a época, esperamos ver um aumento na demanda por produtos com ingredientes orgânicos, sem glúten, sem lactose e com baixo teor de açúcar. Além disso, produtos veganos e vegetarianos também estarão em alta. Cada vez mais pessoas estão adotando uma alimentação livre de carne e produtos de origem animal, e isso se reflete nas escolhas que fazem na hora de comprar presentes para a Páscoa. Os varejistas podem aproveitar essa tendência oferecendo opções veganas e vegetarianas para seus clientes, como ovos de chocolate feitos com ingredientes 100% vegetais.

 

Alimentos orgânicos

 

Outra tendência que está em alta é a busca por alimentos orgânicos e sustentáveis. Cada vez mais consumidores estão preocupados com a origem dos alimentos que consomem e com os impactos ambientais e sociais da produção. Os varejistas podem aproveitar essa tendência oferecendo ovos de Páscoa feitos com cacau orgânico e embalagens biodegradáveis. Embalagens de papel pardo, por exemplo, dão um charme e são uma opção sustentável para seus produtos.  Por isso, investir nessa tendência pode ser uma forma de conquistar clientes que se preocupam com o meio ambiente e com a comunidade local.

 

Qualidade gourmet, produtos artesanais e personalizados

 

A tendência da qualidade gourmet e artesanal continua forte. Os consumidores estão dispostos a pagar mais por produtos de alta qualidade e exclusividade. Cada vez mais os clientes buscam produtos que atendam às suas necessidades e preferências individuais. Isso se aplica aos ovos, chocolates finos e outros doces típicos desta época. Os consumidores querem experiências gastronômicas únicas e inesquecíveis, e isso é algo que você pode oferecer em seu estabelecimento. Oferecer a possibilidade de personalização através de encomendas antecipadas pode ser uma forma de fidelizar ainda mais seus clientes. Outros exemplos são os ovos que o próprio cliente pode personalizar, ovos com estética artística, ovos em pé, de colher, rústicos, cravejados, etc. Investir em opções personalizadas e criativas pode ser um diferencial para sua loja, é uma oportunidade de se destacar e aumentar suas vendas. 

 

Conveniência

 

Por fim, uma tendência que não pode ser ignorada é a busca por conveniência. Com a correria do dia a dia, muitas pessoas estão procurando soluções rápidas e práticas na hora de comprar alimentos e presentes para a Páscoa. Somente em 2020 (de acordo com análise realizada pela Mobills), o delivery de alimentos subiu 187% no Brasil com gastos médios por usuário de aproximadamente R$100, segundo estudo realizado com 46.000 pessoas. Neste momento pós pandemia, as pessoas ainda vêem nas entregas rápidas uma boa opção de compra. Os varejistas podem aproveitar essa tendência oferecendo opções de compras online, delivery e embalagens práticas e funcionais que facilitem o transporte e armazenamento dos alimentos.

Em resumo, o feriado traz grandes oportunidades para o varejo de alimentos, desde que esteja atento às tendências do mercado. Com essas novidades em mente, os varejistas podem se preparar para a Páscoa 2023 oferecendo produtos diferenciados e inovadores que atendam às necessidades e desejos dos seus clientes. Essa é a hora de aproveitar essas informações para se destacar no mercado!

 

Já conhece as nossas soluções?

 

Agora, você deve estar se perguntando: “Como posso me preparar para essas tendências e atender às demandas dos consumidores?” A resposta é simples: com a tecnologia certa. Na Tecnoweb, oferecemos soluções de gestão para o varejo de alimentos, que podem ajudá-lo a gerenciar seu estoque, pedidos, entregas e muito mais! Com nossos produtos e serviços, você pode ter a tranquilidade de se concentrar em oferecer aos seus clientes os produtos e experiências que eles desejam. Se você quer saber mais sobre como a Tecnoweb pode ajudar sua loja a se destacar no mercado e oferecer um atendimento ainda melhor aos seus clientes, entre em contato conosco agora mesmo. Vamos juntos tornar a Páscoa 2023 um sucesso!

 

O que achou das tendências? Qual você colocará em prática? Tem alguma experiência boa que gostaria de compartilhar? Deixe nos comentários abaixo, nós queremos te ouvir!

 

Um abraço e até a próxima!

 

Ana Luiza
Marketing

consumidor

15 DE MARÇO: 3 DIREITOS DO CONSUMIDOR QUE MUITAS PESSOAS NÃO SABEM

Proteja esses direitos e impulsione suas vendas no Dia do Consumidor com a ajuda da Tecnoweb

Construa uma relação mais saudável com seus clientes através do Dia do Consumidor! Hoje em dia, as pessoas estão mais atentas às suas escolhas e esperam encontrar ofertas especiais nesse dia. A data é uma oportunidade para as empresas oferecerem promoções, agradecer aos consumidores pela fidelidade, encorajar compras, demonstrar compromisso com a satisfação e com a qualidade. Mas mais que isso, o Dia do Consumidor também é uma oportunidade para educar os consumidores sobre seus direitos, incentivando a transparência e a responsabilidade das empresas.

O Dia do Consumidor é a data que celebra o papel importante que os consumidores desempenham na economia. Comemorada em 15 de março, tem como objetivo conscientizar os consumidores sobre seus direitos. O Dia do Consumidor tem origem no discurso feito pelo presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, em 15 de março de 1962. Kennedy alertou os consumidores sobre os perigos de produtos mal fabricados e a importância de proteger os direitos dos consumidores. Esses direitos são garantidos por lei, mas muitos são desconhecidos pela maioria das pessoas. Aqui estão três deles que são particularmente importantes, inclusive para o conhecimento das empresas:

Direito à proteção contra produtos vencidos:

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, é obrigação do fornecedor informar a data de validade dos produtos e garantir que eles estejam dentro do prazo na hora da venda. Caso o consumidor adquira um produto vencido, ele tem o direito de exigir a troca ou a devolução do dinheiro, além de poder pleitear indenização por eventuais danos causados. Além disso, o fornecedor que vende produtos vencidos pode ser multado e até mesmo ter o estabelecimento interditado, caso seja constatada uma prática recorrente. 

Direito à informação:

Assim como a data de validade, é obrigação do fornecedor informar o preço dos produtos e informações (marca, modelo, quantidade, composição, características, etc.) de forma clara e precisa. Isso significa que isso deve ser fixado de maneira visível e de fácil compreensão para o consumidor, sem enganos ou informações que possam confundir ou induzir ao erro. Essas informações são essenciais para que o cliente possa tomar uma decisão consciente e fazer uma compra segura. Na falta dessas práticas, o consumidor tem o direito de exigir a correção imediata ou a devolução do dinheiro. Em casos mais graves, pode ser necessário acionar os órgãos de defesa do consumidor para proteger seus direitos.

Direito de não pagar multa por perda de comanda:

O pagamento de multa pela perda de comanda é uma prática que ainda é comum em alguns estabelecimentos, mas que vai contra os direitos do consumidor. Essa taxa é cobrada quando o cliente perde a comanda utilizada para registrar os pedidos. No entanto, é importante destacar que não pode ser obrigatória, essa taxa só pode ser cobrada se o cliente concordar em pagar. Caso o consumidor se sinta lesado ou obrigado a pagar a taxa de perda de comanda, ele pode exigir a correção imediata da situação e, se necessário, acionar os órgãos de defesa do consumidor para proteger seus direitos. O estabelecimento deve oferecer outras alternativas para o registro dos pedidos, como a utilização de tablets, comandas eletrônicas ou outras soluções tecnológicas, como as que temos na Tecnoweb! Além disso, é importante que o estabelecimento tenha um sistema eficiente para registrar os pedidos e evitar esse tipo de problema.

O comércio deve estar sempre atento aos direitos do consumidor para garantir que seus clientes sejam tratados com respeito e atenção, evitar problemas de responsabilidade civil e prejuízos financeiros. Conhecer e respeitar os direitos do consumidor é uma forma eficaz de fidelizar clientes e construir uma boa reputação. Por isso, neste Dia do Consumidor, esteja preparado para oferecer descontos e promoções especiais, mas também demonstrar seu compromisso com a ética, transparência nas relações comerciais e garantir a satisfação dos clientes. 

E com a ajuda dos produtos da Tecnoweb, os varejistas podem assegurar uma gestão mais eficiente e transparente. Nossos sistemas auxiliam na garantia da qualidade dos produtos e na precisão das informações prestadas aos consumidores. Não perca mais tempo, aproveite esta data especial para estreitar a relação com seus clientes e garantir um atendimento excepcional.

Entre em contato conosco agora mesmo e saiba como a Tecnoweb pode ajudar o seu negócio a crescer!